sábado, 3 de junho de 2017

NATAL: PROJETO DE CENTRO COMERCIAL DO ALECRIM FOI DEBATIDO EM AUDIÊNCIA PÚBLICA

O prefeito Carlos Eduardo participou na tarde desta sexta-feira, 2 de junho, de audiência pública na Câmara Municipal sobre o tema Desenvolvimento Econômico do Alecrim, proposto pelo vereador Ney Lopes Júnior. A audiência foi uma oportunidade para se explanar o projeto de construção de um centro comercial no bairro, tendo como uma das áreas destinadas o antigo Teatro Municipal Sandoval Wanderley. Ainda de acordo com projeto proposto pela Prefeitura, ficaria assegurada a construção de um novo Teatro Municipal no bairro da Ribeira.
A audiência pública contou com a participação ainda do vice-prefeito, Álvaro Dias, de secretários municipais, representantes da classe econômica, como entidades ligadas ao comércio, como o presidente da Fecomércio, Marcelo Queiroz, presidente da CDL Natal, Augusto Vaz, presidente da Associação dos Empresários do Alecrim, Francisco Derneval, e da classe artística da cidade, representada pelo ator César Ferrario, da Rede Potiguar de Teatro, além da representante do Sindicato dos Arquitetos, Flávia Laranjeira.
De acordo com o vereador Ney Lopes Júnior, que propôs a discussão sobre o tema, uma das grandes preocupações atualmente é o desemprego e dentro deste cenário as buscas de alternativas para enfrentar o problema. No caso do projeto para a construção do centro comercial, ampliaria a oferta de empregos na área com investimento de R$ 55 milhões de um outlet com capacidade de 280 lojas em área de 35 mil m2, com capacidade de mil vagas de estacionamento. Inicialmente seria uma oferta imediata de cerca de dois mil novos postos de trabalho somente no bairro, podendo chegar a seis mil.
“O Alecrim, há cem anos tem vocação comercial e vem se deteriorando. E vi nessa oportunidade da iniciativa privada de renovar o bairro e oferecer trabalho”, afirmou o prefeito, elencando melhorias que poderão vir à Cidade. O projeto, no entanto, ainda vai ser encaminhado para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) para ser apreciado e posteriormente seguir processo licitatório.
“Venho pedir a esta Casa que o poder legislativo contribua para que não deixe acontecer com o Alecrim o que aconteceu com a Ribeira e centro histórico”, disse o prefeito.
A importância comercial do bairro e seu resgate, foi destacada pelo presidente da Fecomércio, Marcelo Queiroz. O presidente da Associação dos Empresários do Alecrim, Francisco Derneval, falou da necessidade da revitalização do bairro que segundo ele ainda tem força comercial, mostrando alguns números, como a população circulante no comércio: anteriormente chegou-se a ter 100 mil pessoas por dia, durante a semana e no fim de semana, metade disto. Atualmente, este público é estimado em 50 mil pessoas.
O projeto proposto também contempla a urbanização do Alecrim, como as áreas da tradicional Praça Gentil Ferreira, e do entorno do Relógio. O ator César Ferrario, que defende a permanência do Teatro no bairro do Alecrim, pediu que o assunto seja discutido amplamente.
No caso do Teatro Municipal Sandoval Wanderley, de acordo com o projeto, seria transferido do bairro do Alecrim para a Ribeira, este considerado de grande importância para a área cultural com cerca de 22 equipamentos, entre públicos e privados. Além da garantia da construção do Teatro nos mesmos moldes do antigo, com prazo de um ano, será criado ainda um fundo para manutenção da nova casa de Cultura.
O prefeito Carlos Eduardo destacou ainda na audiência investimentos da atual gestão na área cultural pela lei Municipal Djalma Maranhão, de R$ 5 milhões em mais de cem projetos. “Nós não temos condições financeiras na prefeitura de Natal no sentido de resgatar o Teatro”, disse o chefe do executivo municipal referindo-se à crise que atinge o país e que traz reflexos para setores essenciais das administrações municipais, como a Educação e a Saúde.
O secretário Municipal de Cultura, Dácio Galvão, explicou que o projeto do Teatro Municipal na Ribeira seguirá o formato do antigo Sandoval Wanderley, de arena, tendo ainda sala para a Banda Sinfônica, sala para a Escola de Teatral e sala de memória com mostra audiovisual permanente sobre o Teatro fundado nos anos 60.
Uma nova audiência pública para tratar sobre o Teatro Municipal será realizada no próximo dia 9, a partir das 14h.
DEDÉ AUTO PEÇAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...